Na abertura da temporada 2022 do vôlei de praia nacional, Nico/Samuel e Lara/Manu vencem primeira etapa do Brasileiro Sub-21

Publicado em: 31 DE JANEIRO

Na abertura da temporada 2022 do vôlei de praia nacional, Nico/Samuel e Lara/Manu vencem primeira etapa do Brasileiro Sub-21
Arena na Praia de Itaúna recebeu as finais do torneio sub-21 (Créditos: Francisco Monteiro)


A nova geração do vôlei de praia brasileiro já fez a festa no alto do pódio em 2022. No domingo, Nico/Samuel, bronze no Mundial sub-19 e atuais campeões brasileiros sub-21, e Lara/Manu garantiram a medalha de ouro na primeira etapa do Brasileiro Sub-21, disputada na Praia de Itaúna, em Saquarema (RJ). A partir de quinta-feira, a arena recebe a competição inaugural da temporada adulta. 

“Abrir a temporada com os talentos da nova geração do vôlei de praia nacional é emblemático, já que um dos principais focos da CBV é renovação. E o público de Saquarema acompanhou jogos de ótimo nível, de jovens que têm um belo caminho pela frente. Parabéns aos campeões! Tivemos um grande evento em parceria com a prefeitura de Saquarema, tudo correu como o esperado. Agora, a expectativa é para o início do novo Circuito Brasileiro adulto, que também começa na Praia de Itaúna, a partir de quinta-feira”, afirmou Guilherme Marques, gerente de vôlei de praia da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

Com o título, as duas duplas campeãs também garantiram um convite para disputar o torneio principal de uma etapa do Aberto do Circuito Brasileiro adulto.

“Esta é uma parceria que deu muito certo no ano passado, com o título sul-americano sub-19. o título do brasileiro sub-21 e a medalha no Mundial. Temos uma sintonia grande dentro de quadra, que soma muito. Temos muita coisa juntos pela frente”, destacou Samuel que ao lado do parceiro, venceu Denilson/Isac por 2 sets a 0 (21/17 e 21/12) na final. O bronze ficou com Pedro e Vilsomar, que ganharam de Negugu/Lucas Elbert por 2 sets a 0 (21/14 e 21/18).

Lara e Manu garantiram o título da etapa com uma vitória por 2 sets a 0 (21/19 e 21/19) sobre Mafe/Larissa na decisão. Nina e Carol Sallaberry completaram o pódio, vencendo Helena/Lari por 2 sets a 0 (21/11 e 21/17) na disputa pelo bronze.

“A competição em si foi muito boa. Tivemos jogos muito bons, com um nível de voleibol absurdo. Jogar na quadra principal, com a torcida, foi minha primeira experiência assim. Me senti profissional mesmo, e em vários momentos eu parava, olhava para aquilo tudo e pensava ‘Meu Deus, isso está acontecendo mesmo?’”, afirmou Lara.

Além da festa e da pontuação no ranking, que também conta para os torneios adulto, os 12 atletas que subiram ao pódio, terão direito a passagem aérea individual para qualquer etapa do Circuito Brasileiro. 

“Estou feliz demais com esse resultado. Agora é trabalhar para manter”, disse Nicolas.

CIRCUITO BRASILEIRO ADULTO COMEÇA NO DIA 3

A etapa do sub-21 foi só o começo de uma temporada que promete ainda mais emoção nas areias de todo o Brasil. O Circuito Brasileiro chega a 2022 de cara nova e ainda mais valorizado. E, a partir de quinta-feira, começa a disputa do Aberto e do Top 8.

Agora, o ranking da competição será um dos itens levados em conta para a escolha das duplas que receberão verba da CBV para representar o Brasil no Circuito Mundial. A premiação total ultrapassa os 6 milhões de reais, um valor 25% superior ao da temporada 2020/2021.

O Circuito Brasileiro também passa a ser dividido em duas competições por etapa. O Aberto reúne as duplas entre o 8º e o 13º lugar no ranking, além de dois convidados e até oito parcerias classificadas pelo qualifying. Já o Top 8 será disputado pelas sete duplas mais bem ranqueadas, além de um convidado especial: o campeão do Aberto anterior, que ganha o wild card como bônus pela performance. A dupla vencedora de cada etapa Top 8 e seu técnico também terão um benefício além da premiação em dinheiro, e recebem da CBV o custeio de passagem, hospedagem, transporte e alimentação para disputar uma etapa do Circuito Mundial.

Esse sistema permite jogos mais nivelados, entre duplas de ranqueamento mais próximo. No modelo anterior, de competição única com 24 times no torneio principal, os confrontos eram definidos pela colocação no ranking: o mais bem ranqueado enfrentava o time de colocação mais baixa e assim por diante, desnivelando as partidas, principalmente no começo da competição. Também haverá menos dias de disputas para cada atleta, o que diminui o desgaste com a viagem e permite mais tempo para ativações especiais de patrocinadores e da CBV. O convite para o Top 8 dado ao campeão do Aberto é mais um estímulo para a renovação da modalidade, pois todas as duplas podem brigar por uma participação no Circuito Mundial. Tudo está interligado, com critérios claros para os atletas e para quem acompanha a modalidade.

Durante a temporada 2022, serão realizadas 10 etapas do Top 8 e 15 etapas do Aberto. As etapas adicionais do Aberto também servirão como oportunidade de desenvolvimento e experiência, substituindo as etapas do Circuito Challenger. No qualifying do Aberto, os jogos da primeira rodada poderão ser disputados em set único de 25 pontos, caso não haja possibilidade de acomodar toda esta fase da competição no mesmo dia.

Para efeito de formação de ranking de entrada, serão levados em consideração os três melhores resultados das quatro últimas etapas (Top 8 ou Aberto), valorizando a performance recente dos atletas. No formato anterior, eram computados os quatro melhores resultados dos últimos cinco eventos entre as 10 competições anteriores realizadas. Todas as etapas somam pontos para o mesmo ranking, e o campeão da temporada 2022 será definido pela soma dos nove melhores resultados dos participantes.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Banco do Brasil

PATROCINADOR OFICIAL

Parceiros Oficiais